PT EN ES
Área Reservada
menu
15 Julho 2020

A importância da gestão empresarial

Poupar tempo: Todas as empresas devem integrar a sua gestão e ter as suas áreas ligadas e sincronizadas para conseguir este objetivo.

Um dos aspetos fundamentais das empresas, é a gestão empresarial. A gestão empresarial como conceito é a atividade que procura, através das pessoas, melhorar a produtividade e a competitividade das empresas ou negócios.

Alguns estudos sobre o controlo da gestão empresarial e a sua relação com os efeitos da crise económica exibem resultados alarmantes. Uma grande parte das empresas concentra os seus esforços nas atividades próprias da atividade produtiva e comercial, mas presta muito pouca atenção à gestão dos resultados dessa atividade.

A gestão como atividade

A primeira coisa a ter em conta é que a gestão tem de ser uma parte da nossa atividade e é preciso dedicar-lhe tanto tempo como à estratégia comercial, à produção e à inovação.

A direção financeira e de tesouraria, o controlo dos orçamentos e dos recebimentos e pagamentos, são o dia-a-dia de qualquer empresa e têm tanta repercussão na atividade do negócio como o fabrico, o atendimento ao cliente e o volume de vendas. Além disso, a gestão significa a coordenação do pessoal, dos recursos e do capital da empresa. De pouco serve ter certa vantagem competitiva se depois não sabemos aplicá-la corretamente na organização. Temos de retirar informações de todos os agentes com quem interagimos, clientes, fornecedores, concorrentes. Obter feedback do mercado em que nos movemos é vital para tomar decisões e preparar a nossa empresa para as contínuas mudanças que vão acontecer.

A gestão nos empreendedores

A falta de valor que é dada a esta área pode ser atestada pelos números de insucesso dos empreendedores.

Um empreendedor investe muito tempo no desenvolvimento da sua ideia, na elaboração do seu plano de negócio, na procura de financiamento e até na elaboração de um bom plano de marketing.

No entanto, muitas empresas, com ideias excelentes e um bom nível de vendas, não conseguem superar o limiar dos três anos de atividade e encerram.

Bastantes vezes, a explicação para este fracasso é a pouca atenção dada à gestão. Não importa se o produto é bom e, nem sequer, se tem vendas elevadas. O que importa é que exista um bom planeamento das margens de lucro e das despesas da atividade, e também, hoje em dia, de receber.

Pode acontecer não termos conjeturado o encargo financeiro da atividade e essas vendas não serem suficientes para o compensar, por vezes, a falta de planeamento pode levar a uma situação de maior volume de atividade do que o esperado e não estarmos preparados para tal. A gestão ajuda-nos a prever todo este tipo de situações, mas há que fazê-la de forma rigorosa e dar-lhe a relevância que realmente tem.

 
close
Em caso de litígio o consumidor pode recorrer a uma Entidade de Resolução Alternativa de Litígios de consumo:

CICAP – Tribunal Arbitral de Consumo
Rua Damião de Góis, 31, Loja 6, 4050-225, Porto
+351 22 550 83 49 / +351 22 502 97 91
cicap@cicap.pt

Mais informações em Portal do Consumidor www.consumidor.pt