Blog » Outros
3 conselhos que o ajudam a envolver a sua equipa na mudança

A transformação/mudança que é derivada às novas plataformas industriais, às mudanças geopolíticas, competição global e nas alterações dos hábitos de consumo são notícias de capa de jornal, uma vez que, alteram preços de ações, testam a habilidade e a coragem da liderança, assim como, criam novos modelos de negócios que têm capacidade para mudar todo um setor de negócio. No entanto, raramente se fala sobre as pessoas que têm que viver e ajudar durante este processo violento.

Claramente, uma empresa não pode mudar se os seus colaboradores (independentemente do seu número) não estiverem envolvidos e comprometidos com a mudança.

A dimensão humana e pessoal é extremamente importante. Mas, demasiadas vezes, é esquecida esta componente, ou é pouco reconhecida no frenesim para restruturar ou lançar novas iniciativas.

  1. Ouvir e responder com formas novas. Quando os líderes escutam, mostram curiosidade e são uma fonte de inspiração para as suas equipas, estes incitam os seus colaboradores a expressarem-se. Dan Cable, professor de comportamento organizacional na London Business School, chama isto de “Projeção emocional”. Este tipo de abordagem realça que é vital para os colaboradores terem espaço para experimentar, de forma a poderem ser a suas melhores versões. Aliás, Cable refere que “é dar espaço suficiente para os colaboradores poderem aprender, em vez de criar processos para que os sigam como robots.”
  2. Identificar os “influencers”. É essencial que os líderes sejam visíveis na empresa e identificar e saber o quem pode ser o facilitadores e agentes da mudança na transformação. Estes influenciadores não precisam de estar ligados à direção, basta que sejam indivíduos que tenham uma grande intuição emocional ou facilidade em conectar-se a nível social, e tenha uma poderosa influência nos outros.
  3. Promover envolvimento pessoal. Inevitavelmente na sua organização irá haver ceticismo, fatiga institucional e até grande resistência à mudança que acha que extremamente necessária. A melhor forma de evitar estas reações é garantir que os colaboradores estão pessoalmente investidos na mudança. Tente conversar com os colaboradores sobre eles próprios, e não do negócio e dos desafios. Mostrar empatia leva-nos longe.

 

 

 

Voltar atrás